Por que a quarentena é importante para conter o coronavírus?

A medida da quarentena tem sido adotada em países em todo o mundo como uma medida importante para a contenção do novo coronavírus. Em linhas gerais, a quarentena é uma forma, com respaldo legal, de restringir a circulação e a aglomeração de pessoas pelo fechamento de comércios não essenciais, lugares públicos, instituições culturais, cancelamento e proibição de eventos, com possíveis punições judiciais para quem descumprir essa ordem restritiva.

Historicamente, a prática da quarentena começou no século 14, como esforço para impedir que cidades costeiras da Itália fossem expostas a doenças vindas de outras regiões. Então, navios que ancoravam em Veneza vindos de portos em cidades possivelmente contaminadas precisavam esperar 40 dias antes de atracarem. A prática recebeu o nome de quarentena, em menção às palavras “quaranta giorni”, que significa quarenta dias.
 

Quarentena: como se adaptar nesse período?

Home office

Com a quarentena, muitas empresas instituíram uma política de home office para seus colaboradores. Com essa nova realidade, especialistas no tema dão dicas de como se adaptar e manter a produtividade e eficiência no trabalho de forma remota:

  • Ambiente: A orientação básica é separar um espaço organizado e tranquilo, com boa iluminação e ventilação e que você possa sentar numa posição confortável e adequada. É importante que o local seja silencioso e limpo, com poucas distrações ao redor. A demarcação de espaço ajuda a lembrar que, ali, você estará dedicado a suas atividades profissionais.
  • Comportamento.Recomenda-se manter a mesma janela de trabalho praticada no ambiente corporativo, e isso inclui tanto o horário de início e encerramento da jornada, quanto pausas e horário de almoço. 

Evite acordar e começar a trabalhar imediatamente. Para isso, talvez seja necessário fazer adaptações na rotina, como banho matinal, tomar café da manhã e se trocar. Vestir-se de forma adequada, aliás, tem o papel de “alertar” o cérebro que a rotina de trabalho começou, além de ser uma forma de evitar gafes em videoconferências.

Para ajudar a manter a produtividade e diminuir a sensação de isolamento social, é interessante marcar reuniões (VIRTUAIS?) diárias ou recorrentes com o gestor e outros membros da equipe, estimulando o compartilhamento de informações e mantendo o contato com outras pessoas. Nesse momento, delimitar com seu gestor em qual período será aceito responder às mensagens relacionadas a trabalho e à cobrança de demandas ajuda a evitar o trabalho em excesso.

O home office pode ser uma oportunidade para cada colaborador entender melhor quais são seus momentos de maior produtividade e organizar sua agenda para isso. Se você é mais produtivo de manhã, por exemplo, pode se concentrar em tarefas mais importantes ou complexas e deixar demandas simples para outro ponto do dia.


Familiares, filhos e pets

Uma peculiaridade do home office é poder estar em contato constante com a família. A boa convivência nesse período parte da disciplina, organização e um entendimento comum de que, por um certo período do dia, algumas pessoas estarão trabalhando e que distrações devem ser evitadas. 

No horário de almoço e nos intervalos, conversar com os familiares  e brincar com as crianças, deixando o celular e o computador de lado, auxiliam a criar a ideia de que há espaços de descontração e espaços onde a privacidade deve ser mantida. Pensar em rotinas e criar brincadeiras em que os pequenos possam ter autonomia contribuem para que eles se sintam menos ansiosos e consigam ficar sozinhos por mais tempo.

Mesmo com o estabelecimento de uma rotina e compreensão de todos, é comum que, em alguns momentos, surjam situações no dia a dia que possam interferir no trabalho e, consequentemente, na duração da jornada. Nesses casos, vale o bom senso: quando for possível, zele pela produtividade e evite ficar olhando redes sociais, vendo séries ou jogando. Durante esse período de trabalho remoto, a compreensão e empatia são essenciais. Funcionários e gestores precisam ter linhas de comunicação abertas e entender que algumas situações são inevitáveis e naturais, como ouvir um cachorro latindo ou ver uma criança correndo durante uma reunião por vídeo.
 

Saúde mental na quarentena do coronavírus

Ao longo da quarentena, a preocupação e o autocuidado devem ir além do momento de trabalho, afinal é difícil não se estressar em meio a uma pandemia. Esses cuidados incluem:

  • Quando for ler sobre a COVID-19, escolher veículos confiáveis e respeitáveis, que tenham como fontes autoridades sanitárias e de saúde oficiais.

  • Usar a tecnologia ao seu favor e manter o contato e a interação com amigos e familiares. Nessas situações, vale desde uma ligação ou uma mensagem, até marcar um happy hour virtual. O importante é socializar e não se esquecer do bem-estar das pessoas que você ama.

  • Preste atenção em você e nos seus sentimentos. Cuidar de si mesmo e da sanidade incluem atividades que te ajudem a relaxar (ler livros, assistir um filme, resgatar um hobby antigo ou encontrar um novo, procurar cursos online...), se exercitar regularmente, manter uma rotina de sono e se alimentar de forma saudável.

  • Reconhecer o trabalho de quem está atuando no combate diário ao vírus, por meio de manifestações virtuais ou físicas vide, como por exemplo, o ato coletivo de bater palmas nas varandas e janelas para esses profissionais.

  • Compartilhar histórias positivas (desde que elas sejam verdadeiras) de pessoas que tenham se recuperado da doença, boas ações, atitudes solidárias... É importante ver que não existem somente acontecimentos ruins nessa situação.

 

 

 

Tags
  • coronavirus
  • isolamento
  • quarentena
  • COVID-19