A relação entre a vacina BCG e Coronavírus vem levantando inúmeras dúvidas sobre a eficácia que a imunização teria para prevenir a COVID-19. 

Um grupo de pesquisadores brasileiros está estudando , juntamente com as universidades federais de Minas Gerais (UFMG) e de Santa Catarina (UFSC), com o Instituto Butantan, de São Paulo, e com o Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Doenças Tropicais (INCT-DT), a eficácia da vacina BCG na prevenção à COVID-19. O estudo conta com a colaboração da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, e do Instituto Karolinska, na Suécia. 

Em entrevista à BBC News Brasil o coordenador do projeto, Sérgio Costa Oliveira, professor titular de imunologia da UFMG, explica que o objetivo do estudo é desenvolver uma vacina dupla, que proteja contra a tuberculose e contra a COVID-19.

O especialista diz que a ideia é que a bactéria usada para fazer a vacina BCG produza antígenos do vírus SARS-CoV-2 e confira também proteção contra ele.

Oliveira mostra que estudos realizados recentemente em outros países  demonstram que pacientes previamente vacinados com a BCG e diagnosticados com a COVID-19 não desenvolveram a forma mais grave da doença, uma vez que existem 6 tipos de COVID. Os resultados sugerem que a vacina BCG pode ser utilizada no combate à COVID-19, por meio de uma vacina dupla. 

O especialista também afirma que os pesquisadores irão clonar genes do Coronavírus e irão introduzi-los na BCG. Isso para que ele passe a produzir proteínas do agente causador da COVID-19 e, assim, imunize os indivíduos de ambas as doenças quando eles forem vacinados.

O que é a vacina BCG e o que ela previne?


A vacina BCG é composta pelo bacilo de Calmette-Guérin, obtido pelo enfraquecimento de uma das bactérias que causam a tuberculose.

A imunização previne contra a tuberculose, principalmente as formas graves, como meningite tuberculosa e tuberculose miliar (espalhada pelo corpo) e é recomendada como rotina a partir do nascimento.

A Vacina BCG protege contra a Covid-19?


Ainda não há uma vacina que confira proteção contra a COVID-19. Inúmeras estratégias estão sendo traçadas para saber qual é a melhor fórmula para a vacina. No momento, estudos estão sendo realizados a fim de entender a eficácia da vacina BCG no combate ao Coronavírus. Porém, embora o projeto tenha sido aprovado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), a equipe ainda não recebeu os recursos necessários para o desenvolvimento.

Está com suspeita? Saiba onde fazer o teste para COVID-19 e diagnosticar a doença precocemente. 

Posicionamento da OMS sobre Vacina BCG e COVID-19


Ainda não há evidências científicas de que a vacina Bacilo Calmette-Guérin (BCG) proteja os indivíduos contra a infecção causada pelo Coronavírus. Dois estudos clínicos que avaliaram essa suposição ainda estão em andamento, e a OMS irá avaliar as evidências quando os resultados estiverem disponíveis. A OMS não recomenda a vacinação BCG para a prevenção da COVID-19. Porém, em países ou locais com alta incidência da tuberculose, a OMS continua recomendando a vacinação BCG neonatal.

A vacina BCG é capaz de prevenir diversas formas de tuberculose em crianças, e a não vacinação de recém-nascidos pode aumentar o número de infectados pela doença e de óbitos por tuberculose.

 

Saiba mais: atendimento a pacientes crônicos

 

 
Referências:
https://iris.paho.org/bitstream/handle/10665.2/52183/OPASWBRACOVID1920064_por.pdf?sequence=1&isAllowed=y
https://www.em.com.br/app/noticia/internacional/bbc/2020/07/12/interna_internacional,1166132/coronavirus-os-brasileiros-que-pesquisam-vacina-usando-a-bcg.shtml
https://familia.sbim.org.br/vacinas/vacinas-disponiveis/vacina-bcg#:~:text=O%20que%20previne%3A,bact%C3%A9rias%20que%20causam%20a%20tuberculose.
Tags