O levantamento traz informações sobre a trajetória de disseminação do vírus no país

Como parte de um projeto gigante publicado em uma das principais publicações científicas internacionais, a Dasa contribuiu com o sequenciamento do genoma completo do SARS-CoV-2, de 8 brasileiros infectados no início da pandemia, incluindo o primeiro caso autóctone (disseminação local) de COVID-19 da cidade do Rio de Janeiro. A pesquisa concluiu que o vírus já circulava no país, antes dos casos importados.

“Os dois casos autóctones, que não tinham viajado e nem tido contato com quem viajou, são idênticos e bem diferentes dos vírus introduzidos na cidade do Rio de Janeiro, porém foram identificados na mesma semana dos demais vírus importados, mostrando que o SARS-CoV-2 já circulava na cidade carioca, sem terem sido detectado pela Vigilância. O primeiro caso foi no dia 05 de março e os casos autóctones identificados nesta pesquisa foram no dia 06 de março, já com um vírus distinto dos outros isolados de casos importados”, afirma Gustavo Campana, diretor médico da Dasa.

A pesquisa é realizada em parceria com a professora da FMUSP, Ester Sabino, conhecida pelo primeiro sequenciamento do genoma completo de isolado brasileiro do novo Coronavírus. Estes isolados cariocas estão inseridos em um grupo de 500 vírus brasileiros sequenciados pelo grupo da professora Ester, em parceria com o Dr. Nuno Faria, da Universidade de Oxford, Reino Unido.

Para ler o artigo na íntegra, acesse: https://science.sciencemag.org/content/early/2020/07/22/science.abd2161

Tags