A startup francesa Ignilife viu uma oportunidade no mercado brasileiro com os altos custos dos planos de saúde contratados pelas empresas; com a plataforma de engajamento e soluções baseadas em analytics, 52% dos usuários mudaram pelo menos um hábito de vida.

Uma lista da Time aponta o Big Data como uma das 12 inovações que vão mudar a saúde e a medicina na década de 2020. A revista norte-americana pontua as oportunidades do crescente mercado de wearables para dados comportamentais. Porém, o Brasil tem uma demanda ainda mais pujante para análise, tratamento de informações e engajamento personalizado no cuidado com a saúde. Aqui, há uma ampla cobertura de saúde privada: das mais de 47 milhões de pessoas seguradas, 31,6 milhões, ou 67%, fazem a contratação coletiva empresarial, segundo dados de setembro de 2019 da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Essa conta corporativa cresce em média 20% ao ano e pode ser amenizada com investimento em saúde e prevenção.


De olho nessa oportunidade, a francesa Ignilife, líder do mercado europeu de gerenciamento e engajamento corporativo em saúde preventiva, fundada em 2014, escolheu o Brasil como próxima escala depois de aterrissar na Bélgica, Países Baixos, Luxemburgo, França e Suíça. Com uma lógica de cross selling, a startup escolheu o Cubo Health, vertical de saúde com curadoria da Dasa, para abrigar o seu desenvolvimento no Brasil. Em um ano no país, a Ignilife possui testes em andamento com a integração de funcionários de grandes empresas e planos de saúde.



“Dos custos de saúde, 75% estão relacionados a doenças crônicas, e 70% das doenças crônicas são evitáveis com hábitos de vida mais saudáveis, ou seja, conseguimos trabalhar com a metade dos custos do sistema de saúde, e isso é uma possibilidade enorme”, explica Thibaut Choukroun, francês, 25 anos, responsável pela implantação da Ignilife no Brasil. A plataforma utiliza recursos de gamificação para engajar o usuário a solucionar suas questões de saúde e disponibiliza psicólogo, educador físico, nutricionista e enfermeiro, conectados na plataforma e à disposição para conversar, orientar e manter a pessoa engajada. Já no login do empregador, é possível ver os dados por clusters e acessar um marketplace com soluções próprias e de terceiros, como a CUCO e a Conexa Saúde, startups também residentes no Cubo Health. Por exemplo, se há uma alta taxa de pacientes com doenças crônicas que precisam de incentivo para manter a medicação, então é indicado ativar a Cuco.


De acordo com Thibaut, a maioria das empresas que estão desenvolvendo parcerias já oferecia alguns benefícios de saúde, como o GymPass e psicólogo. No entanto, além dessas ações serem isoladas, sem um direcionamento aos grupos que mais precisam, os funcionários também receavam utilizar o atendimento e ter a sua privacidade revelada aos gestores. Com a intermediação da plataforma de um terceiro, há a segurança de que os dados são protegidos. O sistema foi criado de acordo com a nova Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).


As primeiras experiências revelam que 52% dos usuários mudaram pelo menos um hábito de vida após o engajamento personalizado pela Ignilife. Apesar de ser uma solução digital, Thibaut descobriu, fazendo testes, que os resultados melhoraram quando foram combinados com ações offline, como workshops ou palestras presenciais. Atualmente, oferecem ao cliente um kit de marketing interno para também gamificar o espaço de trabalho. Para 81% dos usuários, as ações presenciais ajudaram a aumentar o engajamento digital.


Neste primeiro ano, a startup está trabalhando em fase de teste, com populações menores nos clientes. Conforme a startup aprende e melhora as experiências de empregador e usuário, também vai trabalhando na expansão do marketplace. A ideia é formar um hub com opções para oferecer soluções a quaisquer demandas de grupos populacionais, do alcoolismo ao Burnout. Com investimento assertivo e engajamento na saúde, a conta de saúde das empresas e do bem-estar dos funcionários será cada vez mais positiva.


Proposta de valor da startup Ignilife

Problema

Empresas têm custo alto com planos de saúde e benefícios para todos os funcionários, sem redução de problemas de grupos.


Solução

Plataforma de engajamento para a saúde e o bem-estar que entrega conteúdos e atendimentos personalizados aos usuários e, para os empregadores, dados de demandas de grupos com indicações de soluções própria ou de terceiros para investimento assertivo.

Resultados

52% dos usuários da Ignilife mudaram pelo menos um hábito de vida.

Tags
  • gestão de pessoas
  • Healthtech
  • engajamento no cuidado