O uso de softwares combinados à inteligência artificial facilita a realização de importantes diagnósticos

A Cognetivity, uma startup inglesa, está desenvolvendo uma tecnologia baseada em inteligência artificial que poderá, brevemente, diagnosticar muito mais cedo demência ligada à velhice.
 
Os testes são simples, na verdade. Uma pessoa é apresentada a uma imagem por um período curto de tempo e, depois, deve descrevê-la na maior quantidade de detalhes possível. Baseados no que sabemos hoje sobre neurociência, os resultados destas descrições são comparados, por um algoritmo de inteligência artificial, com uma base repleta de outros tantos resultados.
 
O método pode indicar, por exemplo, a presença de Défice Cognitivo Ligeiro, um dos estágios anteriores à Doença de Alzheimer.
 
Ainda não há nada próximo de cura para a demência. Mas diagnósticos precoces são úteis. Estudos sugerem, por exemplo, que treinamento — aprender um instrumento musical ou uma língua nova, assim como certos jogos e quebra-cabeças — ajudam a retardar os sintomas mais agudos.
 
O desenvolvimento de um teste simples que pode ser aplicado via software tem o potencial de aumentar muito estes diagnósticos.
 

Tags
  • inteligência artificial
  • startup
  • diagnósticos
  • Alzheimer
  • Neurologia