Nova variante do coronavírus: o que se sabe sobre a mutação da COVID-19?

Danielle Miranda,
Publicado em:

É muito comum que ocorram mutações dos vírus. Muitas delas passam despercebidas, pois não geram mudanças no comportamento da doença e não são facilmente detectadas pelos exames disponíveis. Entenda mais sobre o assunto:

O que é a mutação do coronavírus?

A mutação é uma mudança no código genético de determinado microrganismo.

As mutações ocorrem com muita frequência e algumas delas não alteram significativamente nenhuma proteína do vírus, mas outras podem alterar certas propriedades que refletem em mudanças no comportamento da doença.

Entenda: Reinfecção de COVID-19. É possível?

Por que e como ocorre a mutação de um vírus?

Os vírus são estruturas simples que não tem um grande aparato de correção de erros de replicação. No momento da duplicação de seu material genético, podem ocorrer erros aleatórios que podem conferir vantagens ou desvantagens ao vírus. Aquelas que conferem vantagens tendem a predominar, pois acabam sendo selecionadas a cada geração.

Qual a diferença entre a nova variante da COVID-19 e a versão já conhecida?

Três importantes variantes do vírus SARS-CoV-2 foram mais recentemente identificadas. Uma delas é conhecida como a variante do Reino Unido, que apresenta algumas mutações, sendo a mais relevante a que ocorreu em uma região que codifica a proteína spike.

Outra variante, denominada P.1, foi identificada no estado do Amazonas, e resultou em modificações significativas na sequência genética do vírus, levando a mudança conformacional de proteínas, cujo impacto clínico ainda não está bem estabelecido.

Uma terceira variante foi descrita em isolados da África do Sul. Esta variante tem causado especial preocupação pela possibilidade de haver menor eficácia das vacinas atualmente disponíveis.

Vale ressaltar que, pela própria natureza viral, é provável que existam diversas variantes circulantes. À medida que essas mudanças genéticas se tornam mais relevantes, temos maior possibilidade de identificar essas novas apresentações do vírus. Saiba identificar os primeiros sintomas e quantos dias de afastamento após contágio de COVID-19 são necessários.

Saiba identificar os primeiros sintomas e quantos dias de afastamento após contágio de COVID-19 são necessários.

Nova variante do coronavírus pode afetar a eficácia das vacinas que estão em teste?

No momento, diversos estudos estão em curso buscando demonstrar como as mutações descritas podem afetar a eficácia das vacinas. Esperamos obter essas respostas em breve, principalmente no que se refere às variantes da região do Amazonas e da África do Sul.

Saiba mais: Relação entre tipo sanguíneo e a COVID-19.

Quer saber mais?

Se inscreva em nossa newsletter de Inovação