Dasa Empresas, novo hub de soluções de saúde corporativa do Grupo Dasa, tem o propósito de transformar a saúde das pessoas no ambiente corporativo

No dia 08 de setembro, foi promovida a primeira live de Dasa Empresas, que trouxe um amplo debate sobre os desafios de transformar a saúde corporativa no país, a partir da integração de dados e do uso de serviços em prol de uma gestão mais eficaz e sustentável.

 

Com a participação de Ana Elisa de Siqueira, CEO da GSC Integradora de Saúde; Sergio Cafalli, diretor executivo na Dasa Empresas; Rogério Azevedo, gerente de saúde na Eurofarma; e Fernando Heidrich, gerente de saúde e qualidade de vida na Siemens, o bate-papo foi transmitido via Experience Club e moderado pelo pediatra e escritor Daniel Becker.

 

A gestão de saúde dos colaboradores é um dos principais desafios do mundo corporativo na atualidade. E a COVID-19 ressignificou a importância da saúde e evidenciou seu impacto e influência em cenários econômicos.

 

E é diante deste cenário que nasce Dasa Empresas, hub de soluções que une as expertises dos negócios do Grupo Dasa: medicina diagnóstica (Dasa), rede de hospitais (Ímpar) e integradora de saúde (GSC) para viabilizar soluções integradas de saúde junto ao mercado corporativo. O objetivo é, junto com as operadoras, transformar a saúde de colaboradores e dependentes de empresas parceiras, contribuindo para a sustentabilidade do setor.

 

“Vamos unir a experiência da GSC em gestão de saúde e coordenação de cuidado com a ampla rede assistencial de laboratórios da Dasa e de hospitais da Rede Ímpar. Teremos uma jornada definida para cada usuário, de acordo com seu risco individual. Qualquer atendimento médico será feito com conhecimento pleno da saúde do beneficiário, por conta da integração de sistemas”, afirmou o diretor executivo da Dasa Empresas, Sergio Cafalli.

 

Para proporcionar uma medicina mais inteligente, preditiva, personalizada e sustentável é preciso organizar informações e dados de forma inteligente. Somente assim será possível facilitar os diagnósticos e melhorar a comunicação entre médicos e pacientes. “Nosso grande esforço tem sido entender a experiência do usuário no sistema de saúde. Cabe a nós criar a melhor oportunidade de contato com o paciente para qualificar o input desses dados e gerar um grande data lake para coordenar esse cuidado”, comentou Ana Elisa Siqueira, CEO da GSC Integradora de Saúde.

A busca pela personalização do atendimento ao paciente também foi discutida durante a live. Esse trabalho de individualização é essencial e deve ser feito de forma integrada. Assim, é possível obter informações mais precisas e customizadas, capazes de oferecer um cuidado mais qualificado ao paciente.
 

“A vantagem do sistema integrado é que conseguimos antecipar as mudanças de comportamento e o quadro clínico do paciente”, destaca Sergio Cafalli. Essas vantagens também geram resultados no ambiente corporativo.


Sabe-se, no entanto, que ainda há um grande caminho a ser percorrido antes que esse sistema funcione de maneira totalmente integrada. E este caminho inclui dados menos fragmentados, uma tarefa que incorre sobre as empresas do setor, que precisam criar as melhores oportunidades para qualificar esses dados durante os contatos com os pacientes. É preciso trabalhar para aprimorar a experiência do usuário do sistema de saúde, evitando assim a perda de dados importantes.


Os meios para se chegar a isso, segundo Ana Elisa, passam por uma mudança de modelo, remuneração e cultura. Segundo ela, hoje temos uma cultura de consumerism em saúde.
 

“A maior disrupção seria mudar essa cultura de fee for service e atuar em um modelo de pagamento value based, agregando tecnologias, como a telemedicina, para gerar valor”, reforça.


O Grupo Dasa está focado em transformar a saúde das pessoas, por meio do uso da tecnologia, incorporando tendências, como a telemedicina, e estreitando a relação médico-paciente.


Assista à live completa em nosso canal no YouTube: https://www.youtube.com/watch?v=age4xFhGk4g.

Tags