Flurona influenza e covid

“Flurona”: Como identificar os sintomas da infecção dupla e qual teste é capaz de detectar

Dra. Annelise Correa Wengerkievicz Lopes, Dra. Annelise Correa Wengerkievicz Lopes
Publicado em:

Flurona” é o termo recentemente utilizado para nomear a coinfecção por Covid-19 e Influenza. 

Ambos os vírus estão circulando e apresentam forma de transmissão semelhante, o que deve deixar todas as pessoas em estado de alerta quanto aos sintomas, testes de diagnóstico e formas de prevenção. 

O que é “flurona”? 

“Flurona” foi o nome dado à coinfecção entre o vírus SARS-CoV-2 e o vírus Influenza.  Até o momento não existem indícios de maior gravidade pela coexistência dos dois vírus.            

Quais os sintomas de “flurona”? 

Os principais sintomas são: febre, dor no corpo, mal-estar geral, dor de garganta ao engolir e tosse. Pode haver quadros de falta de ar de variável intensidade, inclusive a evolução para a síndrome respiratória aguda grave.

Os sintomas costumam a aparecer entre 3 e 7 dias após o contágio e podem durar até 10 dias. 

Existe diferença entre os sintomas de Covid-19 e Influenza A H3N2? 

A grande maioria dos sintomas é muito semelhante. As alterações de olfato e paladar não são frequentes nas infecções pelo vírus influenza, mas podem ocorrer. 

Estar vacinado contra Covid-19 pode proteger contra a “flurona”? 

Não. A vacinação contra a Covid-19 não impede a coinfecção “flurona”, mas reduz grandemente a chance de uma evolução mais grave do quadro da Covid-19. 

A vacinação contra a Covid-19 não confere proteção contra a infecção pelo influenza, assim como a vacinação contra a influenza não protege contra a Covid-19. 

Leia também: Vacina da gripe e vacina Covid-19

Qual exame é capaz de detectar “flurona”? 

Para o diagnóstico da “Flurona” se faz necessária a detecção dos vírus Influenza e SARS-CoV-2 concomitantemente.  

Existem exames isolados para a detecção dos vírus, RT-PCR e Antígeno, que necessitam de amostras coletas de forma independente 

Além desses, existem painéis múltiplos para detecção simultânea de 4 vírus, o Quadriplex, que permitem o diagnóstico da “Flurona” a partir da coleta de apenas uma amostra. 
 

Como saber se estou com “flurona”, coronavírus ou gripe? 

Como os sintomas são muito semelhantes, clinicamente é muito difícil estabelecer o diagnóstico diferencial. A possibilidade de certeza está vinculada a realização de testes diagnósticos para a identificação do agente causador.

Os painéis virais múltiplos permitem a identificação simultânea do coronavírus, influenza A e B e vírus sincicial, causador da gripe comum. 

Como posso saber se estou com influenza ou nova variante da Covid-19? 

A diferenciação clínica é muito difícil. A realização de exames diagnósticos permite a identificação do agente causador e o diagnóstico de certeza, ou ao menos, a exclusão de ambos os diagnósticos.

A identificação de variantes ou cepas requer o sequenciamento genético do vírus, não sendo realizada rotineiramente no exame diagnostico, mas sim em exame complementar. 

O que fazer se estiver com os sintomas? Devo ir para o hospital ou ficar em casa? 

Na presença de sintomas gripais o ideal é que seja feita uma avaliação médica e a realização de exames para a conclusão diagnóstica, uma vez que o tratamento difere entre as duas doenças. 

Quem está mais suscetível a adquirir a infecção dupla de Covid-19 e Influenza? 

Idosos, gestantes e imunodeprimidos são os principais grupos de risco para ambas as infecções. A vacinação para ambas protege contra infecções mais graves e por isso merece ser reforçada. 

Tem alguma forma de conter os casos de “flurona” no Brasil ou teremos uma nova onda da pandemia? 

A proteção contra “Flurona” depende da vacinação, diagnóstico correto, isolamento dos doentes e os cuidados individuais. 

Evitar aglomerações, higienizar as mãos e usar máscaras faciais de proteção ajudam tanto no combate a Covid-19 quanto no combate a influenza. 

Leia também: qual a melhor máscara de proteção


Compartilhar


Dra. Annelise Correa Wengerkievicz Lopes

Dra. Annelise Correa Wengerkievicz Lopes

A dra. Annelise Correa Wengerkievicz lopes é Patologista Clínica, Gerente Médica Executiva da Dasa.

Quer saber mais?

Se inscreva em nossa newsletter de Inovação