Quais os primeiros sintomas da COVID-19? Confira os sinais iniciais

Dra. Annelise Correa Wengerkievicz Lopes, Dra. Annelise Correa Wengerkievicz Lopes
Publicado em:

O número de infectados pela COVID-19 tem crescido tanto no Brasil quanto no mundo. Por isso, devemos nos atentar aos primeiros sintomas da COVID-19, uma vez que podem ser facilmente confundidos com outras doenças.

Primeiros sinais de que você está contaminado pelo SARS-COV-2

O período de incubação do SARS-COV-2 é de 2 a 14 dias, ou seja, esse é o tempo que os sintomas levam para aparecer a partir do momento do contágio. A manifestação dos sintomas de coronavírus ocorre no quinto dia para a maioria das pessoas.

Os primeiros sintomas de COVID-19 são: febre e tosse, geralmente seca. Dificuldade para respirar e fadiga também são conhecidos como sinais iniciais da doença em alguns pacientes. No sétimo dia, é avaliada a evolução do quadro do paciente e, em 80% dos casos, há uma melhora dos sintomas. No entanto, se os sintomas se intensificarem, é preciso ficar atento, e o quadro passa a ser moderado. Nos casos graves, os sintomas passam a ser severos, e muitas vezes chegam a afetar mais de 50% do pulmão, o que ocasionará insuficiência respiratória e a necessidade do uso de ventilação mecânica em uma unidade de tratamento.

No sétimo dia, é avaliada a evolução do quadro do paciente e, em 80% dos casos, há uma melhora dos sintomas. No entanto, se os sintomas se intensificarem, é preciso ficar atento, e o quadro passa a ser moderado. Nos casos graves, os sintomas passam a ser severos, e muitas vezes chegam a afetar mais de 50% do pulmão, o que ocasionará insuficiência respiratória e a necessidade do uso de ventilação mecânica em uma unidade de tratamento intensiva (UTI), de acordo com o infectologista Luis Fernando Aranha, da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein.

Quais os principais sintomas do Coronavírus?

A febre alta, a tosse seca, a dificuldade para respirar e a fadiga são os principais sintomas da doença. Alguns pacientes também podem sentir dores no corpo, congestão nasal, inflamação na garganta ou diarreia.

A recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) é que, caso apresente algum desses indicadores, a pessoa permaneça em isolamento social por 14 dias.

Se o paciente sentir falta de ar ou dificuldade para respirar, a recomendação é para procurar uma assistência médica imediata.

É preciso ter todos os sintomas do Coronavírus para ser diagnosticado?

Diante de uma lista de possíveis sintomas, não é necessário ter todos os indicadores para ser diagnosticado com a doença.

Estudos recentes nos mostram que é possível estar infectado sem apresentar quaisquer sintomas, o chamado Coronavírus assintomático.

Vale lembrar que o Ministério da Saúde declarou transmissão comunitária da COVID-19 em todo território nacional, pedindo a união de todos contra o vírus, uma vez que o risco de contaminação é muito alto e as medidas que promovem o distanciamento social são essenciais para a diminuição de casos.

Dor de garganta é sinal de que estou com Coronavírus?

Apesar de alguns pacientes infectados se queixarem de dor de garganta, esse não é um sintoma muito comum.

Geralmente esse indício estará atrelado a algum outro sintoma da COVID-19, como, por exemplo, febre, tosse e dificuldade para respirar.

Quais as diferenças entre os sintomas do Coronavírus e de um resfriado ou gripe comum?

Por se tratarem de doenças respiratórias, os sintomas são semelhantes.

A falta de ar é um indício importante para cogitar a contaminação pela COVID-19, pois não é um sintoma comum em gripes e resfriados. Outros sintomas também são mais comuns em uma doença do que na outra.

Tabela de sintomas da COVID-19 em comparação com gripe e resfriado

Compartilhar


Dra. Annelise Correa Wengerkievicz Lopes

Dra. Annelise Correa Wengerkievicz Lopes

A dra. Annelise Correa Wengerkievicz lopes é Patologista Clínica, Gerente Médica Executiva da Dasa.

Quer saber mais?

Se inscreva em nossa newsletter de Inovação