Variante Ômicron: entenda porquê se preocupar com a nova variante

Variante Ômicron: por que se preocupar com a nova alteração do COVID-19?

Dra. Annelise Correa Wengerkievicz Lopes, Dra. Annelise Correa Wengerkievicz Lopes
Publicado em:

A variante Ômicron já foi detectada em diversos países e vem sendo motivo de grande preocupação em todo o mundo.

Para entender melhor todas as características dela, novas informações estão sendo publicadas diariamente para determinar o nível de risco que essa nova variante apresenta para a população.

Nova variante COVID-19: como detectar?

A Ômicron é considerada uma variante de preocupação (VOC) pela OMS, pois apresenta 52 mutações e 32 delas ocorrem na espícula viral (proteína S).

Uma destas mutações, a seleção dos códons que codificam os aminoácidos 69 e 70 da proteína Spike e resulta em um resultado de PCR positivo, porém anômalo, denominado SGTF (S Gene Target Failure). Com isso, é possível suspeitar da presença da variante por meio de um tipo específico de teste de PCR.

Quais os sintomas da variante Ômicron?

Entenda quais os sintomas da variante Ômicron da Covid-19

Os principais sintomas que podem indicar a Covid-19, são: febre, tosse seca, cansaço, dores musculares, coriza, dor de cabeça e dor de garganta e dificuldade para respirar.

Grande parte dos casos de Ômicron relatados até o momento, foram caracterizados por sintomas leves ou assintomáticos.

Como a variante Ômicron é transmitida?

O contágio da Covid-19 e, consequentemente, de suas variantes, ocorre principalmente através de gotículas salivares, espirro, catarro, contato próximo entre pessoas e contato com objetos e superfícies contaminadas.

Existe diferença entre a variante Ômicron e as outras variantes?

Até o momento, o que se sabe é que essa variante se demonstra mais transmissível do que a variante Delta, pois se tornou predominante no cone sul da África e isso vem acontecendo em outros países.

Ainda há muito a ser estudado sobre o comportamento da Ômicron. Informações como: qual sua capacidade de disseminação, qual sua relevância clínica em relação às demais variantes já circulantes, frequência de casos graves e óbitos e como se comporta em relação à imunidade já desencadeada por vacinas ou infecção prévia, irão ser esclarecidas com o passar dos dias.

Outro fator importante é que a quantidade de variantes mais relevantes do vírus aumenta de acordo com a circulação do mesmo, podendo mudar suas características.

Como prevenir ser infectado pela variante Ômicron?

Para se prevenir, recomenda-se continuar seguindo todos os protocolos propostos, como utilizar máscaras de boa qualidade, evitar locais com aglomeração, higienizar frequentemente as mãos com água e sabão ou álcool em gel 70%.

Além disso, a vacinação é fundamental para auxiliar na redução de transmissão da doença, portanto, tome a vacina na periodicidade indicada.


Compartilhar


Dra. Annelise Correa Wengerkievicz Lopes

Dra. Annelise Correa Wengerkievicz Lopes

A dra. Annelise Correa Wengerkievicz lopes é Patologista Clínica, Gerente Médica Executiva da Dasa.

Quer saber mais?

Se inscreva em nossa newsletter de Inovação